Logística, Tecnologia da Informação (TI), Finanças, Jurídico e Marketing Digital são as áreas na quais os profissionais serão mais demandados.

Sem perspectiva no curto prazo de melhora do cenário econômico e político, eficiência e redução de custos devem continuam como os principais objetivos das empresas para 2016. No mercado de trabalho, isso significa, na prática, que 2016 será um ano de menos especialistas e mais generalistas; menos coordenadores e mais analistas. Será também um ano de menos engenheiros de acordo com análise da consultoria Michael Page.

Ao contrário do que foi previsto para este ano, quem domina a lista das profissões com especialização em ciências contábeis. “Independentemente da profissão ou da área, o profissional mais demandado será aquele orientado à redução de custos e ganho de eficiência – nas áreas de TI, vendas, jurídico e tesouraria”, diz Henrique Bessa, diretor-geral da Michael Page.

As profissões indicadas como ‘alta demanda’ compõem cindo áreas que podem contribuir mais no corte de gastos, reestruturação interna e de dívida e posicionamento com o cliente em momentos de crise. São elas: Logística, Tecnologia da Informação (TI), Finanças, Jurídicos e Marketing Digital. Este último ganhou relevância por poder contribuir com inteligência de mercado, posicionamento frente às concorrentes e manutenção de produto competitivo.

Segundo Bessa, grande parte dos profissionais contratados será alocada em cargos de substituição ou referentes à reorganização interna da empresa. A premissa só não vale, segundo o diretor, para setores que estão sendo beneficiados pela alta do dólar e tiveram um bom 2015, como empresas exportadoras e do setor de celulose e proteína animal. Estas devem investir mais em cargos que possam ajudar em sua expansão.

Abaixo, confira quais são as 11 profissões que estarão em alta em 2016:

Tecnologia da Informação (TI)

  • Gerente/Coordenador de Infraestrutura: responsável por toda a gestão de infraestrutura de TI – telecomunicações, suporte (service-desk) e data center.

Perfil: formação em sistemas/ciência da informação e pós-graduações na área são um diferencial.

Por que estará em alta em 2016: infraestrutura de TI afeta diretamente a eficiência operacional da empresa, além de trazer reduções de custos.

  • Gerente/Coordenador de Plataformas Mobile e Web: é quem lidera a equipe de desenvolvedores de aplicativos e ferramentas web, que visam aproximar o usuário da marca/empresa.

Perfil: para web, conhecimento no desenvolvimento Java, Groovy, DevOps, entre outras tecnologias. Para mobile, conhecimento IOS e Android principalmente.

Por que estará em alta em 2016: hoje existe uma tendência na maioria dos setores da economia (incluindo financeiro, varejo, bens consumo) da migração do ponto de venda para plataformas online de e-commerce.

Finanças:

  • Gerente Tributário: é quem garante que a empresa está em dia com todas as obrigações fiscais e dá suporte a áreas internas em consultoria tributária. Também é quem estuda incentivos fiscais, regimes especiais e novas legislações como o objetivo de reduzir a carga tributária e aumentar a eficiência do negócio.

Perfil: formação em contábeis ou direito, com especializações em direito tributário e bom domínio do inglês. Passagem por consultorias big4 (as quatro maiores firmas de serviços profissionais de auditoria) é um diferencial.

Por que estará em alta em 2016: com o atual governo mirando aumentar a arrecadação dos impostos, somado a frequentes alterações na legislação brasileira e novos projetos em fase de implementação (ex.: e-Social), a expectativa da Michael Page é que esta área continue em alta no radar das empresas.

  • Controller: é quem acompanha toda a operação da empresa sobre o ponto de vista financeiro, cria relatórios e indicadores, além de liderar a apresentação dos números para a matriz e/ou acionistas.

Perfil: graduado em ciências contábeis, administração de empresas ou economia (para estas duas últimas formações, é fundamental desenvolver base contábil técnica ao longo da carreira).

Por que estará em alta em 2016: o cenário incerto da economia brasileira demandará maior precisão de informações e fará com que as matrizes (ou acionistas) fiquem mais próximas às operações no Brasil. Como consequência, o controller será mais exigido e exposto a estes controladores. Terá que gerar mais indicadores e relatórios gerenciais e detalhados.

  • Gerente de Tesouraria (com foco em operações estruturadas): responsável em fazer a gestão e controle da estrutura de capital das empresas. Possui ampla bagagem de relacionamento bancário de médio/longo prazo, e projeção e controle do fluxo de caixa das organizações.

Perfil: graduado em ciências contábeis, administração de empresas, economia ou engenharia, normalmente com MBA em finanças corporativas e/ou investimentos.

Por que estará em alta em 2016: é um profissional que poderá baratear o “custo de captação” das empresas, melhorar o nível de relacionamento bancário, trazer operações mais engenhosas do ponto de vista contábil financeiro com grande foco em queda de alavancagem. Com o novo cenário de câmbio, este profissional poderá ajudar a proteger a organização de exposições indevidas, além de poder facilitar ou melhorar negócios com âmbito internacional.

Jurídico:

  • Head do Departamento Jurídico: é o responsável por toda e qualquer demanda jurídica da empresa. Atua tanto no consultivo (interno) como na gestão de contencioso (terceirizado para os escritórios), em todas as frentes. Essa terceirização deve ser gerida de perto, com acompanhamento dos processos e orientação ao traçar as estratégias a serem seguidas, já que o jurídico interno é quem melhor pode traduzir para o escritório que lhe atende a realidade da empresa. Será responsável também pelo orçamento da área e gestão de equipe.

Perfil: generalista, com foco em consultivo. Inglês indispensável. Habilidade em gerir escritórios. Facilidade de relacionamento com as outras áreas de negócio. Saber como transitar entre as áreas da empresa é hoje algo considerado essencial para este profissional. Perfil de liderança para exercer uma boa gestão de sua equipe.

Por que estará em alta em 2016: no cenário atual de recessão, as empresas têm tomado uma postura de corte de custos e consequente redução de pessoal. Com isso, profissionais em cargos executivos com alto custo, além de profissionais com menos experiência de mercado, portanto, com menor custo, e mais generalistas, concentrando todas as demandas em um único profissional. As demandas de maior especificidade acabam sendo terceirizadas em conjunturas como a atual.

  • Gerente de Contencioso de Volume: é responsável por liderar operações que lidam com um alto volume de processos. Faz a gestão da contingência processual, analisando e administrando os riscos de cada carteira, traça estratégias para melhor rentabilidade e também faz a estão das equipes que atuam nestas células.

Perfil: mais do que a habilidade técnica, este profissional terá que ter um perfil híbrido, pois deve conciliar a questão técnica com a habilidade administrativo-financeira de gerir um alto volume de processos. Deve ser um bom desenvolvedor de estratégias para aumentar rentabilidade, ter foco em resultados com grande eficiência e com isso garantir a manutenção dos clientes.

Por que estará em alta em 2016: com a atual conjuntura político-econômica, aumenta-se o volume de processos de uma maneira geral. O foco está na área cível, ações de recuperação de créditos e indenizatórias. A área trabalhista também será bastante demandada, em vista do alto volume de demissões/rescisões que ocorreram em 2015.

  • Advogado Sênior/Gerente na área da M&A: normalmente compõe a área jurídico-consultiva da empresa ou escritório. É responsável pela elaboração desde aos atos societários mais simples aos mais complexos, que compõem as operações de fusões e aquisições.

Perfil: habilidade técnica e experiência em execução de acordos. Inglês indispensável, já que muitas das operações envolvem investidores estrangeiros.

Por que estará em alta em 2016: com o atual cenário político-econômico e a alta do dólar, a tendência é que investidores estrangeiros façam aquisições de empresas nacionais que estão desvalorizadas. Previsão do Credit Suisse aponta que o volume de operações de fusões e aquisições em 2016 deve fica em torno de R$ 150 bilhões. O banco aposta que as operações devem se concentrar na área de energia (óleo e gás), energia elétrica e infraestrutura.

Marketing e Vendas:

  • Gerente de Inteligência de Mercado: gerencia as atividades relacionadas à inteligência de mercado, envolvendo análise de dados sobre concorrência, consumidores, tendências e cenários. Seu foco de atuação é definir políticas e processos e subsidiar informações nas áreas de marketing, comunicação e comercial em busca de oportunidade de crescimento e inovação.

Perfil: capacidade analítica e com raciocínio lógico diferenciado, além de conseguir se manter sempre atualizado em relação a tendências, inovações e práticas de mercado.

Por que estará em alta em 2016: devido ao baixo crescimento econômico e estímulos maiores por novos hábitos de consumo, as empresas têm demandado mais profissionais sêniores e com um papel mais próximo às finanças. Muitas criaram ou têm valorizado mais a área de inteligência de mercado, avaliando não só as mudanças dos hábitos de consumidores, mas também os impactos financeiros que estas informações obtidas na hora certa podem gerar nas empresas.

  • Gerente de Marketing Digital: realiza a gestão da estratégia digital, faz análise de mercados e tendências, além do suporte consultivo gerencial, e identifica as novas oportunidades de produtos, serviços, informações e soluções através do digital.

Perfil: profissionais com conhecimento em usabilidade do usuário e compra de mídia online, que conseguem garantir mais e melhores acessos ao site e, assim, melhorar atuações com passagens sólidas nas empresas ajudam a tornar esse profissional destaque no mercado.

Por que estará em alta em 2016: em um momento onde o digital ganha bastante espaço no mercado, o profissional de marketing com conhecimento em online se destaca por conhecer os processos e ferramentas para este tipo de público.

Logística:

  • Gerente de Logística: controla, organiza e garante a integridade do estoque, faz a gestão de toda a equipe operacional, contrata serviço de manutenção e operação, além de transporte in bound (a atividade que administra o transporte e fluxo de materiais) e out bound (atividade que leva o produto/serviço até o consumidor), podendo se envolver com questões ligadas às atividades aduaneiras.

Perfil: o ideal é ser um engenheiro de produção com pós-graduação em Logística.

Por que estará em alta em 2016: Em um momento de reestruturações nas empresas, a área de logística ganha destaque por ter um grande custo concentrado nela. Ter o profissional correto liderando esse departamento, traz para empresas novas avaliações de fretes, armazenagens e estudos de terceirização, que conseguem diminuir os custos e garantir a qualidade em todos os elos da cadeia logística. O profissional que tem experiência estratégica e tática em logística, e possui certificações em melhoria contínua destacam-se no mercado.

Fonte: Época Negócios

 

Deixe seu comentário